História do RG

História do RG
Livro Ilha dos Marinheiros

segunda-feira, 17 de maio de 2021

1897

 

Acervo: Biblioteca Pública de New York. 


Os banhos de mar se tornaram um hábito difundido em muitos países e que se intensificou nas últimas décadas do século XIX.

Este cartão-postal editado por American-Souvenir Card Co. mostra a praia repleta de banhistas em Staten Island (New York) no ano de 1897.

Os trajes de banho são semelhantes aos modelos utilizados na praia do Cassino no mesmo período.

HQ - O COMETA DE 1881

 

Mágico Vento, Mythos Editora, 2020. 

Histórias em Quadrinhos com temáticas voltadas a cometas e suas manifestações culturais sempre atraem a minha atenção. Foi o caso de Mágico Vento com a história "A Noite do Cometa" (Mágico Vento – O Retorno n.1, Mythos Editora, dezembro 2020) cujo roteiro é conduzido por uma narrativa fantástica no velho oeste do ano de 1881.

Mágico Vento, Mythos Editora, 2020. 

 Em duas apresentações da HQ foi feito referência que o cometa que era visível no sul dos Estados Unidos próximo da fronteira com o México era o Halley. Realmente, um grande cometa riscou o firmamento do hemisfério norte entre junho e agosto de 1881. Mas não foi o Halley que é um cometa periódico de curto período que poderá novamente ser visível dentro de 40 anos (em 2061). O período orbital do Halley é de 76 anos e ele fez uma passagem em 1835 e voltou a ser visto somente em 1910 quando semeou grande terror na imaginação popular.

Halley virou sinônimo de cometa... 

Desde a antiguidade os cometas são fatores de leituras sobrenaturais de sinais de acontecimentos funestos e até de pânico por sua cauda supostamente tocara atmosfera e contaminar com gases venenosos a superfície.  Na história do Mágico Vento não foi diferente a reação de fascínio, medo e o desencadear de pensamentos surreais.

Mas se não foi o Halley, qual foi o cometa?

Cromolitografia de Trouvelot  In: https://digitalcollections.nypl.org/?TROUVELOT_011


 
O “grande cometa de 1881” ou “cometa Tebbutt” foi descoberto em 22 de maio deste ano pelo astrônomo australiano John Tebbutt em Nova Gales do Sul. Em 22 de junho ficou visível no céu noturno do hemisfério norte e o comprimento da cauda nos dias seguintes era de 25° e o brilho do núcleo de magnitude 1. Ainda em agosto o cometa era visível a olho nu e o astrônomo francês Camille Flammarion o observou com dificuldade em setembro. Dado seu brilho e observação a olho nu foi denominado de o “grande cometa de 1881”.

Fotografia obtida em 26 de junho de 1881 e publicada no periódico
Die Gartenlaube (1881) em Liepzig. 
 

domingo, 16 de maio de 2021

BILHETES POSTAIS

O cartão-postal surgiu no Império Austro-Húngaro em 1 de outubro de 1869. Em 1870 já estão sendo editados na Alemanha e Inglaterra. No Brasil demorou um pouco mais. 

O Decreto n° 7695 de 28 de abril de 1880 instituiu o cartão-postal no Brasil. A proposta partiu do Ministro da Agricultura, Comércio e Obras Pública Manuel Buarque de Macedo.

Estes primeiros cartões-postais eram monopólio do governo Imperial e não poderiam ocorrer emissões por empresas particulares. A autorização só chegou em 14 de novembro de 1899. Porém, já havia cartões particulares circulando... Inclusive em Rio Grande... 

Estes cartões ou bilhetes postais passam a circular a partir de 1880 e inicialmente, não recorriam a reprodução de paisagens fotográficas de cidades ou do meio rural, como se caracterizaram os cartões-postais. Os bilhetes ostentavam o brasão do Império ou a efígie do Imperador D. Pedro II. 

 A seguir alguns dos primeiros bilhetes/cartões circulados no Brasil entre 1880-1884. 


Selo de 80 réis com o brasão do Império Brasileiro. Acervo: Luiz Henrique Torres. 

Bilhete-postal com selo de 50 réis e brasão do Império Brasileiro. Acervo: Luiz Henrique Torres. 


Selo de 20 réis com o brasão do Império Brasileiro. Acervo: Luiz Henrique Torres. 



Selo de 20 réis com a efígie de D. Pedro II. Acervo: Luiz Henrique Torres. 


sábado, 15 de maio de 2021

POOCK


 A Fábrica de Charutos Poock & Cia foi fundada em Rio Grande na década de 1890 e se projetou no mercado brasileiro nas décadas seguintes. Na cidade de Cachoeira, na Bahia, foi aberta uma filial da Poock. 

Um destes cartões apresentava uma dedicatória e a data de 1903 e mostra os prazeres do consumo de charutos havaneses que notabilizaram a empresa.

A imagem foi reproduzida do livro de Samuel Gorberg, A Propaganda no Brasil através do Cartão-postal 1900-1950.  

sexta-feira, 14 de maio de 2021

QUÍMICA

https://www.blogdovestibular.com/wp-content/uploads/2018/04/OLEUROPE%C3%8DNA-CESMAC-2016.png

 

No mês de maio de 1980 eu estava sentado no anfiteatro da sala de aula do cursinho pré-vestibular Riachuelo em Santa Maria. A professora de Química preenchia com frenesi o extenso quadro com enunciados de química orgânica.  

O meu pensamento foi vagando até pousar nas cercanias dos prédios e pátios da área central da cidade. Se passaram 41 anos e ainda recordo o cenário extra-classe que observei ao longo de tantas aulas. 

Para fugir da Química e do vestibular do final do ano vaguei até este local abandonado e completei a paisagem com ruínas e outros prédios antigos para compor um cenário gótico. 

Num transe que me levasse para longe das disciplinas científicas peguei a caneta e escrevi esta passagem que reproduzo a seguir.   


RECANTO

Pátio vazio e quase sombrio,

vento movendo árvores cansadas

já retorcidas pelo vento, pelo tempo e pelo raios,

cansadas de tudo, enfim... 


É aqui que mora a paz

é aqui que o silêncio se faz. 

Céu azul e vento frio

e lá no alto uma torre se eleva,

é mais uma história que fica...

por detrás deste muro se escuta:

a paz do silêncio mortal. 


Eu conheço um lugar onde reina a paz,

eu conheço um lugar onde o silêncio se faz. 

quinta-feira, 13 de maio de 2021

AQUEDUTO DA CARIOCA

Acervo: Walter Albrecht. 

Acervo: Walter Albrecht. 

 

Esta é uma das minhas vistas preferidas do Rio de Janeiro. O epicentro são os Arcos da Lapa, no atual bairro da Lapa, a maior obra arquitetônica brasileira do período colonial. 

A primeira funcionalidade dos Arcos da Lapa foi o de ser o Aqueduto da Carioca, uma obra que ligou os morros do Santo Antonio com o morro de Santa Tereza na década de 1720. Sua fisionomia atual é fruto da obra determinada pelo Governador Gomes Freire de Andrade em 1744.  A inauguração foi em 1750 e foi fundamental para aliviar os problemas crônicos de fornecimento de água no Rio de Janeiro. A construção foi em pedra argamassada, em estilo românico e com 42 arcos.  

A partir de 1896 o aqueduto passou a ser utilizado pelos bondes da Companhia Carris Urbanos ligando o centro com o bairro de Santa Teresa.  

No cartão-postal ainda se usa o termo tradicional Aqueduto da Carioca. Este cartão colorizado foi editado por Botelho & Cia e com data manuscrita de 16 de junho de 1919. O primeiro carimbo do Rio de Janeiro é de 17 de junho e o carimbo de recepção em Rio Grande é de 24 de junho. Viajou de navio entre a capital da República e o Porto do Rio Grande para ser entregue na Praça da Conceição (Praça Sete de Setembro), em prédio ainda existente ao lado da Igreja da Conceição, para D. Branca Werneck.  

Carimbo da cidade do Rio Grande 24 de junho de 1919. 


quarta-feira, 12 de maio de 2021

TRAVESSIA MARÍTIMA

 

Acervo: Walter Albrecht. 


Acervo: Walter Albrecht. 


No ano de  2010 o amigo Walter Albrecht me procurou em minha residência e deixou - para que eu analisa-se- centenas de cartões-postais do Brasil, Alemanha, vários países europeus, Argentina etc. 

Combinei que iria reproduzir o material para futura pesquisa e divulgação em publicações. 

Em algumas semanas reproduzi e fiz a devolução de todos os cartões e ressaltei que tinha feito uma viagem prazerosa até cenários do final dos anos 1800 e primórdios dos 1900. Puro deleite... 

Após esta experiência visual e tátil passei a me interessar ainda mais por cartões-postais, carimbos, selos e bilhetes postais. Adquiri vários livros e pesquisei muito sobre a história dos cartões e suas técnicas. 

Permaneço como um aprendiz mas o olhar crítico hoje possibilita contextualizar com maior competência um cartão como este reproduzido nesta matéria. 

Acredito que Walter Albrecht ficaria satisfeito com a reprodução do cartão pois sempre me falava que a memória precisava ser contada e recontada para não fenecer no esquecimento. Que os documentos deveriam ser preservados para serem uma fonte de pesquisa.   

Os cartões eram parte significativa das memórias familiares e foram preservados com respeito e da mesma forma serão divulgados. 

No caso deste cartão se observa que foi impresso a pedido da Hamburg-Amerika Linie. Portanto, ficava disponível a bordo dos navios desta Companhia e assinalavam o testemunho ocular do momento da viagem marítima. Como está escrito no anverso: "no  alto mar, a caminho para Alemanha, envio-te muitos abraços...". A data do preenchimento é 24 de julho de 1907. 

A imagem a bordo do navio é de sofisticação e mostra várias mulheres com os trajes da belle époque. As roupas lembram muito o filme que se passa em 1912: Titanic. 

Dois carimbos de Paris estão no anverso e no verso estão outros três carimbos sendo um muito especial: 23 de agosto de 1907, Rio Grande, Rio Grande do Sul. 



A passageira é Celina Werneck e a carta foi enviada aos cuidados de Raul Werneck.  An bord des Dampfers significa "a bordo do vapor" König Augusto  

Um belo selo alemão de 10 marcos (Deustsches Reich) dá mais um charme para este cartão escrito durante a travessia do Oceano Atlântico com destino a Alemanha. 

terça-feira, 11 de maio de 2021

TRANSBORDADORES

 

Acervo: Museu da Cidade do Rio Grande. 

Este cartão-postal do editor José Regina circulou entre 1928-1930. 

No Porto Novo do Rio Grande são mostrados transbordadores de carvão que recordam o livro de H. G. Wells Guerra dos Mundos. Os dois prédios em tom claro mostrados ao fundo fazem parte do frigorífico Swift. 


segunda-feira, 10 de maio de 2021

DISCURSO DE VARGAS EM 1953

No dia 21 de setembro de 1953 Getúlio Vargas visitou Rio Grande e pronunciou um discurso da sacada da Prefeitura Municipal. 

O gestual discursivo de vargas ficou famoso desde a Revolução de 1930 e continuava marcante no ano anterior a sua morte. 

A multidão lotou o largo em frente a Prefeitura e adentrou na Praça Xavier Ferreira. 

Para a maioria foi a primeira e última vez que escutaram um discurso de Vargas. 


Fotografias obtidas do documentário de 1953 da visita de Getúlio Vargas a Rio Grande.
 Acervo: Arquivo Nacional.  




 

domingo, 9 de maio de 2021

DIA DAS MÃES

Em 1983, no segundo ano do Curso de História na Universidade Federal de Santa Maria, escrevi estas palavras para minha mãe. 

Utilizei um cartão que era vendido pela CESMA (Cooperativa de Estudantes de Santa Maria) com temática em Charles Chaplin. 

Tempos de universitário em Santa Maria. Um poema dedicado aos dias mães que se mantém atual.